terça-feira, 9 de novembro de 2010

Suprema Corte decide sobre venda de jogos violentos na Califórnia


Projeto de lei foi assinado pelo governador Schwarzenegger em 2005.
Games violentos não poderão ser vendidos para menores de 18 anos.





A Suprema Corte dos Estados Unidos começa a analisar nesta terça-feira (2) o projeto de lei que proíbe a venda de jogos violentos para menores de 18 anos na Califórnia. Se o julgamento for favorável à proposta assinada pelo governador Arnold Schwarzenegger, a venda e o aluguel de jogos considerados violentos serão tratados da mesma forma que a pornografia no estado americano.
A lei assinada pelo governador em 2005 nunca teve efeito pois representantes da indústria de games a consideraram anticonstitucional e abriram um processo contra a Califórnia. Eles alegam que o projeto fere o princípio de liberdade de expressão. O caso foi levado para a Suprema Corte.


Segundo a proposta, games violentos são aqueles em que o jogador tem a opção de "matar ou abusar sexualmente de um ser humano". A multa aos varejistas que desrespeitarem a lei será de US$ 1 mil por violação.
Manhunt 2 (imagem acima) é considerado um dos jogos mais violentos de todos os tempos, A jogabilidade consiste em uma mistura de elementos de jogo de ação, stealth e terror psicológico e ganhou controvérsias por ser um jogo para adultos e de extrema violência. A série foca em dois protagonistas diferentes que têm que escapar de perigos particulares e situações perversas a que são submetidos desde o início, apesar que os motivos variam em cada jogo. O antagonista é geralmente um personagem que os tenha traído e possua um bom conhecimento para impedir seu progresso.
Aqui vai alguns dos jogos considerados violentos.
  • Thrill Kill (PS)
  • Manhunt (PS2)
  • Gears of War (X360)
  • God of War (PS2)
  • Mortal Kombat: Shaolin Monks (PS2, XBOX)
  • Mortal Kombat: Deception (PS2, XBOX, GC)
  • Hitman: Blood Money (PS2, XBOX)
  • The Punisher (PS2, XBOX)
  • Splatterhouse (ARC)
  • Mortal Kombat (ARC)




Nenhum comentário:

Postar um comentário